Sexta-feira, 18 Agosto 2017
Últimas notícias
Casa » Lucro líquido da Aliansce sobe cinco vezes no segundo trimestre do ano

Lucro líquido da Aliansce sobe cinco vezes no segundo trimestre do ano

11 Agosto 2017

De abril a junho deste ano, o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 99,008 milhões, crescimento de 8,2% na comparação com o segundo trimestre do ano passado.

O preço do petróleo Brent no segundo trimestre ficou em 49,83 dólares/barril, em média, recuo de 7 por cento ante os três primeiros meses do ano, mas um aumento ante o mesmo período de 2016 (45,57 dólares).

Segundo a estatal, esse resultado foi alcançado pelo aumento da receita com exportações, em função de maiores volumes e preços de petróleo, assim como menores despesas de vendas, gerais e administrativas e menores gastos com importações de petróleo, derivados e gás natural, além do ganho apurado com a venda da participação na Nova Transportadora do Sudeste (NTS).

A dívida da Petrobras somou 295,3 mil milhões de reais (79 mil milhões de euros) em junho, resultado menor do que os 300,9 mil milhões de reais (80,5 mil milhões de euros) destacados no balanço anterior da empresa no final de março.

A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras no semestre atingiu 2.791 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), sendo 2.671 mil boed produzidos no Brasil, 6% acima da produção do ano anterior.

A exportação no segundo trimestre somou 654 mil barris por dia no segundo trimestre -sendo 487 mil barris/dia de petróleo e 167 mil barris/dia de derivados-, versus 779 mil barris no primeiro trimestre e ante 515 mil barris no mesmo período do ano passado.

As vendas de derivados no mercado doméstico, segundo a petroleira, foram impactadas pela retração da demanda e pela concorrência mais acirrada, atingindo 1.943 mil bpd, uma queda de 7% em comparação com o 1º semestre de 2016. Contribuiu para a diminuição nas importações o aumento da participação de óleo nacional na carga processada. No trimestre, o EBITDA Ajustado foi de R$ 19,1 bilhões. No primeiro semestre do ano, a empresa registrou lucro de R$ 4,7 bilhões.

Com a crise consequente da Operação Lava Jato e queda dos preços internacionais do petróleo, a estatal cortou investimentos e iniciou um programa de venda de ativos.

Em relação a 31 de dezembro de 2016, houve uma redução de 2% do endividamento bruto da empresa, que passou de R$ 385,784 bilhões para R$ 376,587 bilhões.

O efetivo de pessoal da companhia em 30.06.2017 foi de 63.152 empregados, uma redução de 18% em comparação a 30.06.2016 em função do Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV).

Há a possibilidade de realizar ainda este ano a oferta inicial de ações da sua subsidiária BR Distribuidora, de acordo com a petroleira. Os ajustes estão sendo feitos desde julho na gasolina e no diesel.

As ações da Petrobras fecharam em queda de mais de 2% nesta quinta-feira (10). No ano passado, o acumulo foi de 121%.